06/11/2015

Ricardo Benassi participa da Jornada de Engenharia da UNIP

A Universidade Paulista (UNIP) organizou a Jornada de Engenharia com três dias de palestras para os estudantes da área. Um dos convidados para a última noite de palestras foi o engenheiro civil e diretor da Santa Angela Construtora, Ricardo Benassi. De acordo com o professor Fernando Santos da Silva, o objetivo da jornada é proporcionar algo a mais para os alunos. “Esta jornada tem proporcionado aos nossos alunos o contato com profissionais da área, esta vivência vai além da teoria em sala de aula e isso é muito importante”, explicou.

Ricardo dividiu sua fala em dois momentos. Primeiro abordou a história da construtora, falou dos empreendimentos e de como tudo começou.Uma trajetória que começou em 1983 e não parou mais. “Adquirimos um terreno no Jardim Angela que deu origem ao primeiro loteamento da empresa. O país era governado pelo Sarney que havia criado o Sistema Financeiro da Habitação, naquela época a margem de lucro era de 100%. A gente construía uma casa, vendia, colocava o dinheiro no banco para render, pois se ficasse parado desvalorizava”, contou.

Hoje, de acordo com Ricardo, o mercado está sofrendo com as consequências da política de incentivo ao consumo do governo federal. “Para consumir, as pessoas tiraram o dinheiro das cadernetas de poupança e gastaram. Hoje, ninguém mais tem reserva porque foi induzido a consumir. Com a crise que se abateu sobre o país, as pessoas não estão mais fazendo negócio, pois estão temerosas sobre o futuro incerto, com medo de perder o emprego”, explicou.

Depois de contar a história da construtora, Ricardo falou também sobre a profissão de engenheiro civil e foi categórico. “Ninguém vai sair da faculdade pronto para o mercado de trabalho. Cada um vai ter que encontrar o seu caminho, aquilo que mais gosta de fazer na área e que mais se identifica e buscar uma especialização. Se esforçar, trabalhar duro e aprender na prática”, aconselhou. “Na Santa Angela, temos 15 engenheiros e outros 20 estudantes e cada um é especialista numa área: gerenciamento de obras, projetos, orçamento”, explicou.

Ele ainda deixou uma mensagem de otimismo em meio à crise pela qual passa o país e que impacta o dia a dia das pessoas e de todos os setores da economia. “Engenharia civil, como qualquer outra área, é preciso ter vontade de aprender e de trabalhar. É preciso se dedicar e fazer sempre o seu melhor. Ser proativo”, frisou. “Lembrem-se sempre que em qualquer lugar que vocês forem trabalhar, foquem a responsabilidade daquilo que vocês fazem em um tripé, como fazemos na Santa Angela. Lá, prezamos o prazo, os custos e a qualidade. Estas três variáveis têm que ser acompanhadas diariamente”, completou.

Pra você continuar lendo: