06/04/2016

Você conhece a história do Hino de Jundiaí?

Quem cresceu nas escolas de Jundiaí já é bem familiar ao hino da cidade, quando todos se juntavam nos pátios e cantavam os versos escritos por Haydèe Dumangin. Se você não conhece o Hino de Jundiaí, veja a seguir a música e a letra:

 

 

Haydèe ao centro, entre os filhos

Ó terra querida, Jundiaí
Teus filhos amantes são de ti
Que Deus abençoe eternamente
Esta terra onde nasci

Ó terra querida, Jundiaí
Teus filhos amantes são de ti
Saudades mil levam
Os que passam por aqui

Terra gentil, altruísta,
De ti me orgulho,
Pois és bem paulista!
Teus filhos com devoção
Marcham pr´a luta como heróis
Cheios de fé em sua oração

Que belas tardes amenas!
Que lindas noites,
Felizes, serenas!
Teu jardim, é um paraíso
Onde a mocidade sempre jovial
Com seu odor confunde o riso.

Quem poderia imitar
O teu céu com tuas cores?
Com teus lindos fulgores?
Os teus campos, tuas flores?
Só a natureza guiada pelo Criador
É que pode pintar esse arrebol!
Que jamais vi,
Tardes ao por do Sol.

 

Bonito não? Mas você sabe o que inspirou Haydèe (popularmente conhecida como Dedé) para escrever esses lindos versos? Pra explicar isso, vamos voltar um pouquinho na história, para 2 anos antes da criação do hino.

No começo da década de 1930, Getúlio Vargas, com o apoio de militares, realizou o que foi chamado Golpe de 1930, um golpe de Estado que derrubou a hegemonia política dominada por mineiros e paulistas na República Velha, dando fim à chamada política do café com leite.

Mas os paulistas não concordaram com o sistema político ditatorial imposto pelo governo de Getúlio, que chegou inclusive a suspender a Constituição. Em 1932, o estado de São Paulo rebelou-se contra o governo federal e várias cidades pegaram em armas para defender a instituição de uma nova Constituição.

É aí que entra a composição de Dedé. A cidade de Jundiaí , devido a sua localização geográfica e recursos como transporte ferroviário, era um ponto estratégico do conflito. Dedé observava desde a marcha dos soldados jundiaienses bem como o empenho do povo para ajudar feridos e confeccionar roupas para os combatentes. Esse espírito de união por um ideal, somado às belezas naturais da cidade e à gentileza do povo fez Dedé compor uma marcha que elevasse a moral dos cidadãos de Jundiaí para continuar firmes e orgulhosos de si mesmos.

Apesar da derrota em 4 de outubro de 1932, a Revolução conseguiu força o suficiente para, em 1934, ser instituída uma nova Constituição e pôr fim no regime autoritário de Vargas.

Anos depois, a marcha criada por Dedé foi oficialmente reconhecida como Hino de Jundiaí, de acordo com a lei 869 de 17 novembro de 1960. Cinco anos mais tarde, Haydèe Dumangin Mojola viria a falecer, deixando como legado um dos mais belos hinos criados para um município.

Pra você continuar lendo: