Área do Cliente: Chamados | Portal de Boletos
Área do Corretor: Entrar

19/01/2021

Como fazer a adaptação do seu pet em casa!

Muitas famílias gostam da companhia de um pet dentro de casa ou apartamento. Sejam cães ou gatos, coelhos ou papagaios, chinchilas ou calopsitas, os animais tornam o ambiente mais harmonioso. Mas você sabe como fazer uma adaptação correta do seu novo pet em casa?

 

Acompanhe a gente nesse post que vamos dar algumas dicas tanto para você que está recebendo seu primeiro animalzinho, quanto pra você que já tem animais em casa e está recebendo mais um, ou até mesmo pra você que está mudando de casa com o seu companheirinho. Confira mais:

 

Animais de estimação ou companhia?

O amor e afeto que trocamos com os animais não são de hoje. Você sabia que os primeiros animais domesticados foram os cães e gatos? A domesticação dos cachorros começou há mais de 500 mil anos, na era glacial. Os cientistas e zoólogos dizem que os cachorros que conhecemos hoje foram espécies de lobos antigamente. E esses lobos, no passado, se aproximaram das aldeias atraídos pela comida em abundância que os humanos tinham. E a partir daí, nasceu uma linda aproximação, que anos e anos depois, ficou conhecida como: a melhor amizade do homem!

 

Mas sabe quem também sabe ser um ótimo melhor amigo para o homem? O gato!
 

 

Apesar do mito e de julgamentos antigos sobre o gato não ser sociável e ser traiçoeiro, os felinos vêm há anos mostrando a sua lealdade e seu carinho a nós, humanos. A família Felinae está há mais tempo que os cães tentando conquistar os nossos corações. Já faz aproximadamente 12 milhões de anos que o gato usou toda sua beleza no andar, a graça de suas garras e seus sábios dotes de caça para conquistar e dominar o Egito – parece brincadeira, mas é verdade. Há 3 mil anos os gatinhos eram até mumificados! ????

E tudo isso foi apenas para você entender que os cães e gatos, e os outros animais domésticos, possuem seus instintos e suas características de anos e anos atrás. Portanto, devemos considerar que eles são seres, assim como nós, sencientes e, é claro, cada um com sua devida personalidade. E levando isso em consideração desde o início, e respeitando os instintos e personalidade do seu pet, pode ter certeza que já é um passo dado para essa adaptação ser um grande sucesso!

 

Bem-vindo, pet. A casa é sua!

A primeira dica é lembrar dessas 3 palavrinhas mágicas: inteligência, paciência e persistência. Algumas outras dicas para adaptar o seu cão, que é “filho único”, em sua nova casa são:

  • Mantenha a calma na hora de adaptar o cachorro ao novo lar. Nos primeiros dias ele provavelmente não vai fazer as suas necessidades no lugar correto, ainda não vai estar adestrado e ambientado ao que pode ou não fazer no ambiente. Então, calma! Um passo de cada vez.
  • Mantenha a rotina do cachorro no novo lar. Tente manter a rotina de seu pet, pois mudanças são muito estressantes para eles. Continue com a hora da comida, de ir ao banheiro e de passear. Isso vai mostrar que mudanças não são tão ruins assim.
  • Na adaptação, não se esqueça dos itens do cãozinho. Uma das tarefas mais importantes é lembrar dos itens de seu pet. Brinquedos, caminha, bebedouro e comedouro que vão o ajudar a se sentir em casa!
  • Opte por uma coleira com identificação para o cachorro, pois em alguns casos de estresse, as fugas podem ocorrer, e você deve estar preparado para isso. Não se esqueça de atualizar a identificação de seu pet com o novo endereço e telefone.
  • Faça acompanhamento com o médico-veterinário. Um veterinário de confiança vai conhecer seu amigo, sua personalidade e seu histórico de doenças. E se notar mudanças comportamentais durante a adaptação do seu pet, fale com seu vet!

 

 

Já para uma adaptação saudável com gato, filho único, as dicas são as seguintes:

  • Antes de tudo: segurança! Um gato sem acesso à rua tem uma qualidade e estimativa de vida maior. Instale medidas de segurança. É essencial a instalação de redes de proteção em todas as janelas e basculantes para evitar qualquer tipo de acidente.
  • Faça todas as compras essenciais antes da chegada do novo gatinho. Você deve comprar as coisas do seu gato antes da chegada em sua casa, para evitar confusão e estresse desnecessário.
  • Antes mesmo de levar seu gato para casa ou adotar seu gatinho faça uma pesquisa buscando por um veterinário. É importante que você busque conhecer o veterinário antes mesmo de levar o seu gatinho para consulta. Veja se ele possui familiaridade com os felinos e converse com pessoas que já levaram o gato para consultar anteriormente com esse profissional.
  • Reforce o manejo ambiental. Permita que seu gato tenha esconderijos e lugares para manifestar seus instintos, como prateleiras altas, arranhadores, tocas etc. Isso é muito importante para a qualidade de vida do seu gatinho.
  • Lembre-se: gato não é cachorro. Gatos são temperamentais e demonstram muito seus sentimentos. Se ele não quiser colo, não force. Se ele não quiser carinho, não force. Isso não significa que ele não goste do seu afeto e carinho, só significa que ele respeita as próprias vontades e sensações, e gostaria que você respeitasse também!

 

Sempre tem espaço pra mais um!

Antes de pensar em adaptar o seu mais novo animal de companhia com o antigo, você precisa entender se o antigo gostaria de novas amizades. Tem cães e gatos que costumam estranhar novas amizades no começo, mas que com o tempo, se acostumam. Mas também tem aqueles que nasceram para ser “filhos únicos”, e que quando se vêem num ambiente com um novo animal, não conseguem lidar e acabam se estressando. Portanto, entenda e respeite a personalidade do seu animal!

 

Para uma adaptação saudável entre dois cães, siga as dicas abaixo:

  • Evite forçar a amizade entre os animais. Faça reforço positivo, mostrando para ambos que coisas divertidas podem acontecer enquanto um está na presença do outro, como ganhar petiscos, brincadeiras, carinho e tudo mais.
  • Não deixe que os animais dividam a mesma cama, bebedouro, comedouro, brinquedo e banheiro. Se cada um dos bichinhos tiver seus objetos, a chance de acontecerem estranhamentos e brigas é bem menor.
  • Escolha um momento no qual seus animais mais velhos estejam bem tranquilos para começar a fazer a apresentação. Traga seu novo animal – usando coleira e guia – para dentro de casa e observe por um tempo como todos irão reagir. Se você estiver confiante de que não haverá problemas, solte o novato da guia, mas mantenha a supervisão constante.
  • Leve os cães para passearem juntos. Como o passeio é um dos passatempos favoritos dos cães, dificilmente eles vão querer brigar.
  • Cuidado para não deixar ninguém com ciúmes! Ter mais pets, não significa que você precisa dar menos atenção para o antigo animal, por exemplo. Saiba dividir a atenção e carinho entre os dois.

 

Já para a adaptação saudável entre dois gatos, vai requerer um pouco mais de paciência. Já juntar de imediato os dois no mesmo ambiente pode não ser a melhor solução!

 

  • Nunca chegue com o gatinho novo e coloque os dois frente a frente como se estivesse apresentando duas pessoas. Essa apresentação é muito traumática, os gatinhos vão se assustar muito, gerando muito estresse. A apresentação dos gatinhos precisa ser feita de uma maneira gradual.
  • O novo gatinho vai precisar de um espaço (cômodo). Nesse cômodo coloque tudo que ele vai precisar, pote de comida, bebedouro, caixa de areia, arranhador, caminha e brinquedos. O cômodo fará com que o bichano sinta-se seguro e leve o tempo necessário para se adaptar ao novo ambiente.
  • Antes de juntar os gatos, teste uma sorologia de FIV e FELV, que são doenças virais, sem cura, que podem passar de um gato para o outro.
  • Troque as cobertinhas e brinquedos entre os gatos para um sentir o cheiro do outro. Conforme eles vão se habituando com o cheiro, o contato visual terá menos chance de ser traumático.
  • Quanto o gato recém-chegado estiver mais seguro, prenda o gatinho residente em outro cômodo, que não seja o do novo gatinho. Depois disso, abra a porta e deixe o novo gatinho explorar e conhecer a casa nova.
  • Para o primeiro contato visual, esteja presente e forneça petiscos ou sachês, para os gatos associarem este momento como uma ação positiva.
  • No primeiro contato físico, esteja por perto e monitore para se certificar de que não sairá briga. Aos poucos, você vai ganhando confiança e eles também! 

 

Daí pra frente, é só amor e bem bom! E é claro, com toda a responsabilidade que eles merecem também. ❤️

 

Fontes:

https://www.petz.com.br/blog/dicas/como-adaptar-o-cachorro-ao-novo-lar/

https://caocidadao.com.br/como-adaptar-um-novo-cachorro-a-familia/

https://www.patinhascarentes.org/post/adaptar-gato-ao-novo-lar

https://www.patinhascarentes.org/post/adaptar-um-gato-com-outro

Pra você continuar lendo: