Área do Cliente: Chamados | Portal de Boletos
Área do Corretor: Entrar

04/08/2015

15 comidas/bebidas tradicionais de Jundiaí que você deve conhecer

Por Samuel Vidilli*

Depois dos meus “18 sinais de quem nasceu e/ou foi criado em Jundiaí“, muitas pessoas vieram falar comigo que esqueci isso, aquilo, aquilo outro… Bom… resolvi então escrever mais: agora eu vou enumerar as 15 coisas que você deve comer/beber em Jundiaí na minha singela opinião de jundiaiense de coração e gordo de cintura.

1- O quarteto fundamental jundiaiense “hors concours” – Turbaína/pão com mortadela/coxinha de queijo/uva niagara da safra de verão comprada na barraquinha. Esses são os pratos jundiaienses por excelência. E por isso estão aqui em primeiro lugar! Não é para comer tudo ao mesmo tempo bebendo Turbaína, viu?
Sobre o pão com mortadela: pode não ser o prato preferido de alguns, mas convenhamos… é o petisco jundiaiense por excelência, assim como a já famosa coxinha DE QUEIJO!
Já a uva comprada na barraquinha: essa é a prova de que “sêmo” realmente interior! Comprar fruta direto do produtor é coisa que ninguém nos tira!

2- Polenta e linguiça frita com caipirinha do Spiandorello
Polenta frita, sentado naquele banco de madeira, olhando os patinhos… bebericando uma caipirinha feita com cachaça do garrafão… tem programa de domingo mais jundiaiense? (Agora os paulistanos descobriram esse recanto e o Spiandorello está cada vez mais lotado).

3- Pastel do Bar do Pedro no Mercadão
Esqueça atendimento VIP, lugar confortável para sentar, pagar com cartão de débito ou crédito. O melhor a fazer lá é comer “uns pastel” (na minha modesta opinião, o melhor), tomar uma “Coquinha KS”  e ouvir o Zambelli tocar seu violão.

4- Bolinho de carne com queijo do Dito
Os hypes da cidade criaram até bloco carnavalesco para homenagear esse quitute que vende mais que pão quentinho. Uma boa opção para um sábado antes do almoço. Para acompanhar, uma boa cervejinha gelada.

5- Risoles de carne da Padaria Nossa Senhora Aparecida
Coma e você não vai se arrepender. Mesmo. Palavra de gordo. O desafio é degustar só um. Sugiro um risoles de carne e outro de palmito para alegrar seu dia e levar seu regime ao fim!

6- Filé à Suplicy da Cantina Jundiaiense 
Um verdadeiro Monte Roraima de arroz à grega, carne e queijo com molho branco servido por garçons à moda antiga (com direito a gravatinha borboleta e tudo) aqui na “cidade”(Centro).

7- Coxinha de frango do Dadá
Coxinha é um assunto que me consome. Sou perito nessas maravilhas. Existem excelentes lugares com essa iguaria aqui na terra querida (a já citada Padaria Nossa Senhora Aparecida, Tropicana e, claro, a Padaria Keli que também tem a melhor empadinha do universo e a melhor coxinha de queijo…) mas a do Dadá é tradicional. Eu ia com minha vó comer. Eu vou hoje. E irei amanhã se não infartar.

8- Sorvete “Italiano” na Galeria Bocchino
Eu sei, não tem nada de mais. Nadinha. Sei também que existem sorveterias melhores (a Gelateum do JundiaíShopping, além do Verace e também a antiga Tutti Frutti na Pirapora), mas o “italiano” de leite condensado e “morango” da lojinha no meio da Galeria Bocchino faz parte da vida de todo filho desta terra.

9- Torresmo e cachacinhas do Ceará (Cantinho do Norte)
Torresmo é vida. E o Ceará consegue levar esse petisco à condição de iguaria fina e nacionalmente conhecida (seu filho tem o famoso canal no youtube Meu Mundo Minha Vida). Recomendo também as cachacinhas diversas que ele tem para acompanhar.

10- Nhoque e crústuli da Festa Italiana
Só vale se for para comer lá, com aquele monte de gente, pegar fila e tomar vinho suave do Caxambu e pagar aquele “mico” ao cantar “O Sooooooooooooole Miiiiiiiiiiiiiiiiiiioooooooooooo”, “Voooolaaaaaaaaaaaareee”…

11- Hambúrguer e maionese do Mirim Dog
Não tem hamburgueria do Itaim ou qualquer similar que ganhe da maionese e do hambúrguer do Mirim. Frescura pra quê, se você pode comer o melhor lanche do mundo e sair cheirando bacon? Observação: leve dinheiro. De preferência contado. E não ligue para o resto. Você só vai lá para comer, não para que o atendente seja seu melhor amigo…

12- Lanche de porpeta da Padaria Central
Nem eu conhecia. Indicação do meu amigo e grande apaixonado pelas coisas jundiaienses José Arnaldo de Oliveira. É um lanchinho delicioso, simples e barato dessa padaria que está fazendo 40 anos. O brinde é a simpatia e alegria contagiantes da Mazé, a dona da “padoca”.

13- Pizza becel ou portuguesa do Chopão
Pizza é um problema: cada um tem a sua preferida. Como a lista é minha, falo da que eu mais gosto. E  isso não se discute. Podem até ter melhores (duvido), iguais (pode ser…), e mais baratas (isso com certeza!), mas para mim a portuguesa e a becel do Chopão são imperdíveis! Além disso, há, no meu caso o apelo emocional. Morei muitos anos no Vianelo; então ora íamos jantar no restaurante, ora eles mandavam suas deliciosas pizzas em casa. Mas o mais legal lá é comer no salão deles. Está do mesmo jeito desde que ia com meus pais, com aquela capa de pano sobre as cadeiras, guardanapos de pano…

14- Cachorro quente do tiozinho atrás da Praça das Rosas
Novamente é gosto pessoal.
Depois do Russi do Centro, desce a rua. Ali estava o melhor cachorro quente da cidade. Tem até senha! Simples, bem feito, barato. Hoje eles estão na Leonardo Cavalcanti, quase atrás do Mosteiro de S. Bento, do outro lado da rua. Vale a pena numa dessas noites de fome passar lá. De dia o movimento não ajuda…

15- O quarteirão da alegria
O quarteirão da rua Marechal Deodoro com a Dr. Almeida, descendo até a Prudente, tem duas surpresas: uma é um lugar excelente, um restaurante que parou no tempo (e falo isso da melhor maneira possível) e mantém tradições. Porque o que é bom fica. Tomar um chopp no balcão do Uhlen Haus (carinhosamente chamado de Alemão da Marechal), comer as delícias bem servidas (salgadinhas no preço, ok, mas como poderia ser diferente? O que é bom custa às vezes)… Tão bom quanto, descendo a Dr. Almeida, na esquina com Prudente, o elegante Chafariz. Onde, para mim, a grande pedida é o lanche de rosbife, gorgonzola e aliche… Sem falar do bom parmegiana que lá servem… Muito bom!

Endereços:

Spiandorello:  Avenida Humberto Cereser, 6245 – Caxambu

Mercadão de Vila Arens: Rua Prof. João Luiz de Campos, 210 – Vianelo

Bar do Dito: Avenida Samuel Martins, 222 – Vila Progresso

Padaria Nossa Senhora Aparecida: Avenida Carlos de Salles Bloch, 234 – Anhangabaú

Cantina Jundiaiense – Rua Zacarias de Góes, 223 – Centro

Restaurante Dadá – Rua do Rosário, 277 – Centro

Galeria Bocchino – Rua Barão de Jundiaí, 706 – Centro

Cantinho do Norte –Rua Marechal Deodoro, 187- Centro

Festa Italiana – Rua Humberto Primo, 103 – Colônia

Mirim Dog – Rua Bernardino de Campos, 146 – Centro

Padaria Central – Rua Bernardino de Campos, 37 – Centro

Chopão – Rua Bom Jesus de Pirapora, 1996, Bonfiglioli

Praça das Rosas – Rua Leonardo Cavalcanti – Centro

Uhlen Haus – Rua Marechal Deodoro da Fonseca, 702 – Centro

Chafariz – R. Prudente de Moraes, 1395 – Centro

*As opiniões do artigo aqui publicado refletem unicamente a posição de seu autor e não da Santa Angela.

 

Pra você continuar lendo: